sexta-feira, 25 de junho de 2010

E lá vem a cavalgada novamente

E lá vem a cavalgada novamente
"Caralho, tenho que malhá mais. Meu braço ainda num tá tóra. Meus peito tem que ficá explodino. A cavalgada já tá perto."
"Olha, minina, esses pneusin na minha cintura? E agora como é que vou perder eles? Num pegá ninguém, assim."
"Êita porra, a prestação da bis vai vencê bem no dia. Mas eu num nem aí. Vai chuvê de gata lá."

"Tu já comprô teu chapél? O meu é branco. Esses brancão é que é o chama pras piriguéte."
"Mandei apertá aquela calça pra usá cum aquele blusão que eu comprei na Imperatriz Tecidos."
"Muié, e os menino já alugaram a carroça pra gente infeitá?"
"Moço, agente num pode perdê a cavalgada, não. A televisão disse que é o maió evento da cidade. É gente pá porra. Bóra, moço. pede dinheiro imprestado."
"Ai, que eu morta de malhá. Mas, vale a pena. com uma blusinha bem curtinha pra mostrá minha barriga definidísima."
"minina, se tu vê a calça que eu comprei. Ela tem uns disfiado assim, na berada da bunda. Se tu vê como ela é chíque."
"Bóra chapá, uai. Êta chão goiano."
"Eu vô com essa mini-saia pra pegá um corôa istribado, por que a mensalidade da Facimp tá atrasada. Sabe comé que é, né,mermã."
"Vamo botá o nome UFMA, bem grandão na nossa carroça."
"Óia essa bota que eu comprei lá na Di Paula. é lôka, né? foi quais duzentos conto."
"Será que lá vende daquelas fivela do tamanho dum prato?"
"até que enfim a mãe deixô eu ir. Mas eu vô me produzí lá na tua casa, senão ela vai dá pití, comigo."
"É massa demais agente em cima da carroça com a lata na mão rebolando prusôto babá."
"Porra. Eu quero ir muntado num cavalão manga larga. Onde é que eu arranjo? Será que tem pra alugá? Deve sê caro, né? Comprei até umas isporasona só o míe dibuiado."
"Ê, doido, o wisk já tá guardado lá em casa. É tu que vai comprá os redbull, caralho. As gata num toma o bicho puro, não, doido."
"Tu já reservô a parada cum aquele carrocêro que tu cunhece?"
"Eu vi no orkut que aqueles ninino da Unisulma vão. Pense numa bagacêra, siá."
"Bicho eu vô cum a camisa que comprei. Ela é igual aquela do Jorge do Jorge & Matheus, que ele usa no DVD que gosta de passá no Mustang Drinks, num tem?"
"Vô cuidá da minha progressiva. Quero subir naquela carroça a-r-r-a-s-a-n-d-o debáxo do sol quente."
"Eu vô chapá o côco. E quando eu tivé travado vô derramá red label na boca do cavalo. É pras gata vê que eu tenho é o vento."
"Eu vô é na carroça do meu patrão, por que ele é quem tem o doido. Lá só vai rolá cavalo branco e black label cum gelo de água de coco."


É. Realmente é duro viver de aparência.

6 comentários:

  1. o povo da é o cu pra ir nessa porra kkkk, cheirar merda de cavalo e ver babaca contando vantagem... e viva o "luxo" e morra o bucho, isso ai povao de Imperatriz...

    ResponderExcluir
  2. Dar o cu pra cheirar cu de cavalo...zoofilia pura!

    ResponderExcluir
  3. Porra Jairo , furou meus zóio. Ja tava fazendo meu texto safado.

    ResponderExcluir
  4. um bando de alienado, mesmo. sem contar o absurdo que é interditar uma BR pra servir de palco pra uma palhaçada dessas. é foda.

    ResponderExcluir
  5. Ricardo, o Magno5 de julho de 2010 11:23

    Ha Ha Ha! A cavalgada é o evento mais cavalar de toda a história de Imperatriz. Nela, cavalos montam sobre cavalos fazendo jus a uma posição erótica muito conhecida em filmes pornôs.

    ResponderExcluir
  6. Ricardo, o Magno5 de julho de 2010 11:31

    Penso, Logo desisto!

    ResponderExcluir